A PNAD Contínua Mensal, divulgada nesta quarta-feira pelo IBGE, registrou taxa de desocupação de 11,6% no trimestre móvel que se encerra em dezembro de 2018. O resultado é 0,2 ponto percentual inferior ao observado para o mesmo período no ano anterior e 0,3 p.p. inferior ao observado para o trimestre de julho a setembro de 2018, configurando um quadro de melhoria gradual no ano e estabilidade na margem.

A população desocupada, de 12,2 milhões, caiu em 2,4% na comparação com o trimestre anterior e apresentou estabilidade frente ao mesmo período de 2017. Já a população ocupada, de 93 milhões, apresentou crescimento de 0,4% em relação ao trimestre anterior e 1,0% frente ao mesmo trimestre de 2017. O número de pessoas desalentadas (4,7 milhões) subiu 8,1% no confronto interanual.

Tratando do setor privado, ainda que sob a base de comparação da média dos últimos quatro anos tenha caído em 10,1%, constatou-se uma estabilidade no contingente de empregados com carteira assinada (exclusive trabalhadores domésticos): 33,0 milhões, não tendo variado significantemente frente ao trimestre ou ano anterior. Enquanto isso, o número de empregados sem carteira (11,5 milhões) subiu 3,8% (mais 427 mil pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2017, e se manteve estável em relação ao trimestre anterior. Entre as médias anuais de 2014 para 2018, houve um aumento de 7,8% (mais 811 mil pessoas) nesse contingente, o que salienta o movimento de recuperação observado durante o ano, sustentado, essencialmente, pela informalidade.

    

COMPARTILHE

face link